meio Portugal e tal, muito escandalizado …

Meio Portugal e tal anda muito escandalizado com as nomeações partidárias. Aparentemente, meio Portugal e tal acha que era dever do governo de Passos Coelho manter o aparelho socialista /socratista por tudo o que era lugar no Estado e Empresas Públicas.

Vasco Pulido Valente, com a acutilância e pontaria habituais escreveu, a propósito deste triste assunto, um brilhante artigo de opinião no Público de hoje e não resisto a citar alguns excertos :

… …  “Por um lado a inexistência de um “sector privado” com oportunidades de trabalho, carreira e ascensão social, virou sempre a parte letrada (ou, se quiserem, “instruída”) da sociedade para o Estado e para aquilo que dele directa ou indirectamente dependia (obras públicas, bancos, monopólios, grandes companhias) … …   A classe média que nasceu e cresceu por este processo é inevitavelmente uma classe média do estado, cujo bem-estar ou a fortuna dependem do Estado. Sem ele, morreria, e morreria depressa … Infelizmente para Passos Coelho, a crise do estado e a crescente miséria do funcionalismo não lhe permitem aumentar e distribuir com mão larga a sopa do convento e provoca a inveja, o ressentimento e a fúria daqueles que ficaram sem o seu prato de lentilhas. Disfarçado em virtude, o escândalo das nomeações não passa disto.”

 

 

Anúncios

Sobre António Vieira Lopes

Liberal na Economia. Pouco. Conservador em tudo o resto. O que é muito. Morrerei médico.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s