O paradoxo da matemática ou o golpe de estado da rés pública!

Na realidade, e como referiu Sextos, reconheço a mediania governativa à coligação PSD-CDS. Entre erros e mediocridades (com episódios de “relva”, de “marco” e quejandos), a coligação obteve a maioria relativa, mas, a MAIORIA de votos dos portugueses,
O programa maioritariamente sufragado foi o da coligação. Na campanha eleitoral ninguém se apercebeu de alguma possibilidade de coligação entre o PS, PCP e BE.
Ora esta hipótese (quase tese) de coligação representa a subversão de todo o historial dos princípios da vida democrática pós 25 de Abril de 1974.
A concretizar-se representa o escamotear da vontade da maioria de votos dos portugueses!
Representa, também, claro está, a luta titânica do Dr António Costa pela permanência no poder. O próprio pretende o protagonismo do lugar de 1º ministro, apesar da reconhecida ineficácia durante a campanha que levou o PS a uma derrota desastrosa.
O povo português terá que se manifestar na rua a concretizar-se esta leviana e contra natura coligação de esquerda.
E gostaria de rematar lembrando ao Dr António Costa que, como diz o velho provérbio popular, ” quem com ferros mata, com ferros morre”.

Anúncios

Sobre Jorge G. Pereira

Sou Português, nascido no Porto, terra de tradição antiga e firme, de onde nasceu o nome de Portugal,
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s